Jorge Jesus vê o Brasil como “fábrica de talentos” e justifica assédio europeu

O futebol brasileiro sempre foi visto por equipes europeias como um grande celeiro de grandes talentos no esporte. Nos últimos anos, o processo de observação e investimento em jovens se acentuou, com contratações de jogadores como Vinicius Júnior e Rodrygo Goes, que fecharam com o Real Madrid antes mesmo dos 18 anos. Em meio a isso, o treinador Jorge Jesus, do Flamengo, analisou tal movimentação.

Segundo ele, as saídas precoces não se dão necessariamente pela falta de capacidade dos clubes no trabalho com os jovens. No entanto, por conta da grande quantidade de talentos, é impossível dar atenção e conseguir fazer com que todos os garotos das categorias de base atinjam seu máximo potencial.

– Não, é que o futebol brasileiro produz muitos jogadores e não se consegue controlar todos. Há imensos clubes e um leque vasto de talentos, alguns até desconhecidos por aqui, que saem, se tornam grandes jogadores e depois retornam, como Deco e tantos outros -, disse o Mister em entrevista à revista Veja.

Atualmente, no Flamengo, a grande joia que Jorge Jesus está tendo a oportunidade de lançar é o meia-atacante Reinier. Na última partida, o Garoto do Ninho foi titular e marcou um dos gols da vitória por 3 a 0 sobre o Avaí. Além de Reinier, outras promessas da base que têm recebido espaço com Jesus são Lucas Silva e Matheus Thuler, com 21 e 20 anos, respectivamente.

Fonte: Coluna do Fla