Roger Flores vê cobrança exagerada sobre o Flamengo: “Não concordo”

Para o apresentador, saída da Libertadores não deveria gerar protestos tão fortes, por conta do bom trabalho de Zé Ricardo no ano e da força dos outros times do grupo.

O desembarque do Flamengo no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, não foi comum. Acostumada a contar com o apoio em massa da torcida no “Aerofla”, dessa vez a equipe rubro-negra aterrizou em silêncio e sob protestos, após a derrota por 2 a 1 para o San Lorenzo que eliminou o time da Libertadores. Para o apresentador Roger Flores, no entanto, a cobrança em cima do Fla neste momento é exagerada. Durante o “Troca de Passes”, o ex-jogador crê que as poucas derrotas do clube no ano e a dificuldade do grupo deveriam amenizar a situação (assista ao vídeo).

– Eu acho que é uma cobrança exagerada em cima do Flamengo, que acabou de ser campeão estadual, vem de poucas derrotas. É lógico, se a gente analisar a Libertadores, perdeu os três jogos fora de casa, mas não concordo com esse tipo de cobrança nesse momento. Foi eliminado em uma Libertadores em que o grupo era muito difícil. Se me perguntarem, o Flamengo era o melhor do grupo, mas era um grupo equilibrado. E principalmente sem o principal jogador, o Flamengo sofreu no momento exato com desfalques importantes – analisou.

O comentarista Caio Ribeiro adotou visão parecida em alguns pontos. Para ele, o clima no Fla não pode ser de terra arrasada, mas dentro do contexto em que a equipe da Gávea iniciou a última rodada, a eliminação é uma decepção.

– Para mim é uma decepção. Pelo o que o Flamengo vinha jogando nessa temporada, pelo investimento que foi feito, por se colocar na última rodada, mesmo fora de casa, precisando do empate e sair na frente do placar. Então, dentro desse contexto, o Flamengo tinha que classificar. E eu esperava essa classificação. Agora, pensar em terra arrasada, em demissão de todo mundo, em um novo horizonte de futebol, eu acho que existe um trabalho sendo feito e nós estamos falando de um time que vem tendo dificuldades na primeira fase da Libertadores – afirmou.

Caio também analisou as mudanças feitas pelo treinador Zé Ricardo durante a partida e seu trabalho como um todo. E chegou a conclusões diferentes. O analista acredita que o comandante do Flamengo cometeu alguns erros, mas ressaltou que, no geral, o trabalho é muito bom até aqui.

– Eu acho que talvez ele tenha cometido alguns erros, não é só o resultado. O segundo tempo do Flamengo me decepcionou muito, você querer administrar resultado, querer jogar só atrás e não encaixar um contra-ataque, para a grandeza do time eu esperava um pouquinho mais. Acho o trabalho do Zé Ricardo muito bom, principalmente porque na hora que você perde o Diego, que é o centralizador da jogada, a cabeça pensante do meio de campo, que vai fazer com que essa bola chegue com qualidade no Guerrero a frente e você sobrevive, consegue ganhar o Carioca, caminha na Libertadores (…) a gente tem que elogiar o trabalho do Zé, porque ele soube, de uma certa forma, se reorganizar como equipe para suprir a ausência de um de seus dois melhores jogadores.

Roger corroborou a visão de Caio Ribeiro sobre as substituições, especialmente ao citar a entrada do jovem Matheus Sávio na equipe, que vem sendo muito criticado após perder bola que gerou o primeiro gol do San Lorenzo.

– A primeira substituição dele é o Rômulo no lugar do Berrío, você já começa a trazer o time para trás com ele ganhando por 1 a 0. Depois ele coloca um menino (Matheus Sávio) e a cobrança em cima dele é muito forte. Uma exposição desnecessária, é um menino talentoso, entrou em um jogo em que o Flamengo estava sendo pressionado. Acho que o Zé poderia ter pensado em um treinador mais cascudo, tarimbado para poder jogar ali do lado do campo e bloquear essa descida mais forte do San Lorenzo pelo lado esquerdo – concluiu.

Para superar a frustração vivida na competição continental, o Flamengo agora foca sua atenção na partida contra o Atlético-GO, pela segunda rodada do Brasileiro. O jogo acontece no próximo sábado, a partir das 19h no estádio Serra Dourada, em Goiânia.

Por SPORTV