Evolução da zaga e poder de criação: a análise de Zé Ricardo antes da volta da Libertadores

Depois do empate que significou a eliminação da Taça Rio para o Flamengo, o que menos se falou na entrevista coletiva do técnico Zé Ricardo foi o “peso” do revés. Com a classificação garantida para as finais do Carioca e a Libertadores a vista, o técnico do Rubro-Negro preocupou-se mais em analisar o desempenho da equipe e projetar o duelo contra o Atlético-PR, pelo continental, na próxima quarta-feira (12).

“O jogo teve estratégia clara das duas equipes. Jogando pelo resultado, o Vasco tentou atuar ocupando bem a defesa e tentando uma saída rápida. A gente sabe que isso faz parte do jogo. Em relação a finalizações, melhor a gente conseguir finalizar do que não criar tantas oportunidades assim. Vamos treinar para quarta-feira, lembrando que temos um adversário difícil”.

Apesar das muitas finalizações e nenhum gol contra o maior rival, o setor de criação não foi tema de dor de cabeça para o treinador. Assim como a defesa, que teve um novo integrante, o argentino Donatti, que pode continuar entre os titulares. Contra o Vasco, a equipe rubro-negra não cedeu nenhum chute na direção do gol.

“O Donatti fez uma partida segura, vem treinando muito bem e é um atleta de alto nível. Esperou por meses a oportunidade e aproveitou. Isso não significa a titularidade. Temos mais dois treinamentos e vamos definir. Vamos analisar mais para frente quem vai estar melhor preparado”.

Depois de quase um mês desde a última rodada, o Flamengo volta novamente as atenções para a principal ambição da temporada, a Copa Libertadores. O jogo contra o Atlético-PR, pela terceira rodada do Grupo 4, está marcado para as 21h45 (de Brasília) de quarta-feira (12). O clube da Gávea está na terceira posição da chave, mas só um ponto atrás dos líderes Universidad Católica e o próprio Furacão.

Fonte: EI