Demora irrita, e Fla perde a paciência com Petraglia por jogador do Atlético-PR

A paciência do Flamengo com o Atlético-PR está por um fio.

A irritação de parte da cúpula do clube se deve à demora do presidente do Conselho Deliberativo do rubro-negro paranaense, Mario Celso Petraglia, em definir a situação do meia-atacante Marcos Guilherme. O assunto havia sido discutido durante o confronto entre as duas equipes, no último mês de dezembro, em Curitiba, mas um acordo para empréstimo ainda não foi selado.

Uma possível troca chegou a ser falada posteriormente no sorteio da Libertadores, em Assunção, no Paraguai.

Ela incluía o lateral direito Léo, que acabou renovando nos últimos dias o seu contrato com o Fla até o fim de 2018 e foi repassado de volta ao Atlético-PR mais uma vez por empréstimo. O Coritiba tentou atravessar as conversas e pressionou o rival.

Hoje, a negociação não conta mais com o camisa 33.

O Flamengo, no entanto, segue interessado em Marcos Guilherme e aguarda por uma posição de Petraglia sobre o atleta de 21 anos. O cartola, que se encontra em viagem pelo exterior, pedia o meia Ederson, mas ele não topou a ida para o CT do Caju.

“Queremos resolver a situação do Marcos essa semana”, afirmou o presidente do Atlético-PR, Luiz Sallim Emed, ao ESPN.com.br.

A postura de Petraglia nas tratativas é motivo de crítica flamenguista.

Para o time da Gávea, o ex-mandatário está dificultando uma decisão em torno do futuro também do atacante Marcelo Cirino, que precisa de seu aval para mudar de casa. Com contrato na Arena da Baixada, ele mantinha conversas com o Inter, mas viu o interesse esfriar em virtude dessa demora.

Uma ida hoje para o Beira Rio não é mais tratada como tão provável.

Se não negociá-lo até o final de 2017, o Fla terá de desembolsar cerca de R$ 20 milhões ao Grupo Doyen, fundo de investimentos que comprou 50% dos direitos econômicos de Cirino em 2014. Por isso, a transferência para o Inter agrada ao Fla e ao seu estafe.

Fonte: EXTRA