Conca receberá cerca de R$ 400 mil no Flamengo. Veja detalhes!

Conca é jogador do Flamengo. O clube acaba de fazer o anúncio oficial. A volta do meia argentino ao Brasil encerra uma operação que teve duas etapas: a primeira, uma estratégia de convencimento dos dirigentes chineses do Shanghai SIPG de que seria saudável para Conca fazer, no Brasil e no ambiente de um clube, a fase final de sua recuperação de uma cirurgia no joelho; a segunda, a construção de um modelo de contrato que faz o jogador, de 33 anos, não ter quase nenhum custo para o Flamengo até que esteja apto a jogar.

Conca será cedido ao Flamengo pelo clube chinês por um empréstimo até dezembro de 2017, sem que o rubro-negro pague pela cessão. Embora os números não tenham sido divulgados, seu contrato será registrado com um salário-base “muito baixo”, conforme definem dirigentes do clube. No Ninho do Urubu, fará sua recuperação no Centro de Excelência em Performance e só passará, de fato, a representar algum custo para o Flamengo quando começar a jogar. Seu contrato prevê “uma bonificação”, que será paga a partir do momento em que entrar em campo. Calcula-se na Gávea que Conca, após começar a jogar, custará ao Flamengo menos do que Montillo ao Botafogo. O argentino do alvinegro tem salário estimado em R$ 400 mil mensais.

Com condição financeira para ter uma folha de pagamento maior do que em 2016, mas sem tantos recursos para contratar jogadores vinculados a outros clubes, o Flamengo buscava oportunidades de mercado. A primeira tentativa do clube de se aproximar de Conca aconteceu pouco depois da notícia de que o meia faria uma cirurgia de ligamento do joelho esquerdo, em outubro, mas foi rachaçada pelo Shanghai SIPG. Pouco depois, o vice de futebol rubro-negro, Flavio Godinho, junto com o empresário do jogador, o advogado Marcos Motta, que tem boa relação com os dirigentes chineses, iniciaram uma nova etapa na negociação.

ESTRUTURA COMO TRUNFO

Na nova fase da investida, a estratégia foi exibir a recém-montada estrutura médica do centro de treinamento do Flamengo. Além dos equipamentos, argumentaram que o jogador e sua família são adaptados ao Rio de Janeiro e que, no rubro-negro, ele faria a etapa final de sua recuperação num ambiente de competição. Até agora, após a cirurgia realizada no Colorado, nos Estados Unidos, o argentino fazia fisioterapia em Miami, onde tem uma casa. Ou seja, não tinha convivência diária com outros atletas em plena competição. O compromisso do Flamengo é devolver o jogador aos chineses, ao fim de 2017, em sua melhor condição.

— Foi uma operação criativa. O grande passo foi ganhar a confiança dos chineses. Era uma conversa que extrapolava o futebol — disse Godinho. — Nestas condições, a contratação de um jogador deste porte era uma oportunidade que não podíamos desperdiçar.

A princípio, o Flamengo não conta com Conca até o início de maio, salvo uma surpresa positiva em sua recuperação. A partir daí, terá condições de jogar o Campeonato Brasileiro e, se o rubro-negro estiver classificado, a fase de mata-mata da Libertadores. Assim, em tese, a chegada de Conca não altera os planos iniciais de montagem do elenco. Além da contratação do peruano Miguel Trauco, que é lateral-esquerdo, o Flamengo busca um volante — Rômulo é o favorito e pode ser anunciado nesta semana como reforço — e um ou dois atacantes. O rubro-negro fez proposta a Marinho, do Vitória. Agora, aguarda uma reunião entre o representante do jogador e o clube baiano. O encontro pode definir as condições para a liberação do atacante.

Nesta segunda, em uma rede social, Marinho publicou texto em agradecimento ao Vitória. Não falava em despedida, mas acabou alimentando especulações.

NOVOS ACORDOS

Outro objetivo do clube é dar, ao longo da temporada, mais espaço a jogadores das divisões de base. Não apenas integrando o elenco, mas com mais minutos em campo. O meia Lucas Paquetá é um dos nomes mais frequentemente citados em conversas com a comissão técnica.

Fora de campo, o clube apresenta reforços para o caixa. Após o acordo com a Carabao, bebida energética tailandesa, o Flamengo fará hoje o anúncio da parceria com a Orthopride, empresa de ortodontia, voltada para as categorias de base. Em 2017, o espaço principal da camisa vai continuar sendo ocupado pela Caixa Econômica Federal. O Flamengo espera ampliar o valor da verba anual de R$ 25 milhões para R$ 30 milhões.

Fonte: O Globo